Siga-nos nas redes sociais

  • Branca Ícone Instagram
  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon

@2019 Malinovski

PROGRAMAÇÃO

 Primeiro Dia - 07/04 

Investimento Florestal

12h às 13h30 : CREDENCIAMENTO

13h30 às 13h45 : ABERTURA

13h45 às 16h

Painel 01: “Quem irá consumir a produção florestal mundial nos próximos 05 anos?” 

O Mercado Norte-Americano

O mercado de construção norte-americano é um grande driver do setor florestal mundial, inclusive para o Brasil. O seu auge foi em 2007 e desde então vem declinando. Podemos esperar que volte ao seu auge? Ou a tendência é que a economia entre em crise? Caso a economia norte-americana entre em crise, qual será o impacto para o setor florestal?

Existe espaço para expansões florestais na América Latina?

O Brasil tem previsão de investimento acima de R$ 32 bilhões no setor florestal nos próximos quatros anos com a construção de diversas indústrias e também aumento das áreas de florestas plantadas. E nos outros países da América Latina? Vamos falar sobre o cenário e o crescimento florestal da América Latina.

Até onde o mercado global de celulose vai crescer?

Após anos de consumo crescente, em 2019 tivemos um descompasso entre produção e demanda, ocasionado pela queda do preço da celulose. Isso é uma tendência para os próximos anos? As perspectivas das indústrias consumidoras asiáticas, celulose branqueada e especial e exportação crescente de madeira em fibra também terão destaque.

Europa

A Europa tem média de cobertura florestal de 41,7%, número que cresceu nos últimos anos. Destaque para a Finlândia com 71%. Mas algumas questões preocupam os europeus. Como serão absorvidas, nos próximos anos, as florestas infestadas por pragas e erradicadas prematuramente? Como esse desequilíbrio afetará o mercado?

16h às 18h
 
Painel 2: “Quem irá suprir a demanda futura mundial de madeira?”

Produção de madeira para celulose: qual é a ordem da fila?

Vimos que a demanda por celulose no mundo é crescente. Atualmente temos na AL diferentes projetos em desenvolvimento, alguns mais ou menos concretos. Do ponto de vista de custo de matéria-prima, qual é o projeto mais interessante? Falaremos, também, quais são as vantagens do Brasil e dos projetos brasileiros.

O manejo para produção de toras de qualidade é viável?

O manejo de florestas para produção de madeira limpa, clear, vem caindo no Brasil. Como é essa situação em comparação com outros países produtores, como Chile, UY e NZ? Alguns investidores têm preferido a Nova Zelândia ao invés de investir no Brasil, principal produtor mundial de madeira clear. Isso é uma tendência ou coincidência?

Produção de florestas para exportação de fibra de madeira 

A exportação de toras não era viável economicamente no Brasil, mas a realidade pode estar mudando. Quais são as razões? Não seria melhor ser transportada na forma de produto? O Brasil consegue competir com o Uruguai? Qual o potencial de agregação de valor na exportação de cavaco? A África pode ameaçar pode ameaçar esse nicho de mercado?

18h às 19h
 
Palestra especial - Análise macroeconômica

Tema: “Como será o futuro da economia global nos próximos cinco anos?”

19h
Coquetel no local - incluso no ingresso

Segundo Dia - 08/04

Gestão Florestal

8h15 às 8h30 : Abertura - Ricardo Malinovski - CEO da Malinovski
8h30 às 10h
Painel 1:  Competitividade do Setor Florestal

Diante da mudança climática e surgimento de novas pragas, a competividade das empresas florestais da América Latina está ameaçada? Governança e compliance afetam a produtividade? A conversão de terras com aptidão florestal em áreas agrícolas é uma ameaça para o setor? Quais as alternativas para reduzir custos sem afetar a produtividade?

Palestrantes:

José Artemio Totti – Diretor Florestal na Klabin
Douglas Lazaretti – Diretor Florestal Região Norte na Suzano
José Ricardo Ferraz - Diretor de Operações Florestais e Industriais na Duratex
Fernando Gnoatto - Diretor Florestal da Berneck

Moderador: Paulo Pupo - Superintendente da ABIMCI

10h às 10h30 - Intervalo (Coffee-break)
 
10h30 às 12h
Painel 2: Pesquisa x Inovação

Para que tenhamos pesquisas inovadoras, alinhadas com as necessidades das empresas de base florestal é preciso que os institutos e universidades estejam em sintonia com as demandas que surgem. Como está esta relação? Quais a linhas prioritárias de pesquisa das empresas? A Bioeconomia pode agregar valor aos produtos florestais?

Palestrantes: 

Gleison Augusto dos Santos - Diretor Científico na SIF -Prof. de Biotecnologia Florestal da UFV
Patrícia Amélia Bueno - Fundadora e Diretora Geral - Easy Hub
José Mauro Moreira - Secretário Executivo de Portfólio Florestal na Embrapa

 

Moderador: José Otávio Brito - Diretor Executivo - IPEF

12h às 14h - Almoço no Local (incluso no ingresso)
 
14h às 15h - Palestra

"Setor Florestal e as perspectivas da economia brasileira para os próximos anos"

Palestrante: Paulo Hartung - Presidente Executivo da IBÁ

Moderador: Junior Ramires - Presidente da Câmara Setorial de Florestas Plantadas do MAPA

15h às 15h30 - Intervalo (Coffee-break)
 
15h30 às 17h30
Painel 3: Tecnologia Florestal

Na era da floresta 4.0 temos vivenciado evoluções constantes no mercado florestal. Será que chegamos no limite de desenvolvimento das operações florestais? Quais são as lacunas de conhecimento que podem revolucionar a indústria florestal? Como as startups estão se inserindo nas empresas florestais? Quais inovações estão fazendo a diferença para o setor? Como se conecta a tecnologia com sustentabilidade? Como a pesquisa tradicional se insere em um mundo VUCA (Volátil, Incerto, Complexo e Ambíguo)?

Palestrantes:

Caio Eduardo Zanardo – Diretor Florestal Região Sudeste na Suzano
Fabiano Rodrigues – Diretor Florestal e Compras na International Paper
Carlos Justo – Gerente Geral de Planejamento e Competitividade na Eldorado
Júlio César Tôrres Ribeiro - Diretor Industrial e Técnico na Cenibra

Moderador: José Valmir Calori - Gerente Comercial na Klabin SC 

17h30 às 18h - Discussões e Encerramento
Organização
Apoio master